7165
   
     
         
Início Top 10 Todas Mais Enviadas Novas Adicionar Anedota





Pesquisa Avançada

Subscrever a newsletter




  Alentejanos  (426)
  Aulas  (57)
  Animais  (74)
  Anões  (9)
  Bebados  (46)
  Brasileiros  (48)
  Amigos  (78)
  Carros  (16)
  Cegos  (13)
  Ciganos  (16)
  Cuba  (42)
  Elefantes  (57)
  Azares  (69)
  Épocas  (16)
  Era uma Vez  (66)
  Expressões  (117)
  Especialistas  (33)
  Estrangeiros  (30)
  Família  (24)
  Fantasias  (31)
  Festas  (6)
  Futebol  (70)
  Farmácia  (9)
  Filmes  (23)
  Gagos  (18)
  Gays  (26)
  Geral  (4306)
  Jovens  (27)
  Loiras  (201)
  Lojas  (16)
  Mortes  (7)
  Médico  (50)
  Nazis  (30)
  Namorados  (31)
  naufrágios  (4)
  O que é  (21)
  Os Se's  (2)
  Porcas  (25)
  Precoces  (25)
  Pais e Filhos  (57)
  Países  (11)
  Patrões  (10)
  Peidos  (9)
  Policias  (12)
  Pretos  (64)
  Restaurantes  (15)
  Religião  (85)
  Ricos  (11)
  Roubos  (3)
  Sádicos  (35)
  Samora  (7)
  Sexo  (109)
  Casamento  (57)
  Sogras  (15)
  Sortudos  (6)
  Transportes  (16)
  Testes  (16)
  Urss  (28)
  Vida Conjugal  (28)
  Raínha da Noite  (3)
  Romeu  (2)
  Adivinha  (60)
  Verdades  (10)
  Linguagem  (20)
  Pinóquio  (4)
  Bolo Amor  (10)
  Químico  (1)
  Alentejana  (108)
  Contradições  (36)
  Matemáticas  (2)
  Dicionário  (5)
  Ignorantes  (26)
  Engano  (21)
  Confusão  (48)
  Remador  (2)
  Palavra  (4)
  Pensamentos  (9)
  Picantes  (35)

Versão para imprimir


Categoria da Anedota: Pinóquio
Categoria da censura:

 Enviado por: activado 2013-02-25
 Tipo: mini
 Estatistica: 1
 Enviado: 0


Titulo:

Detalhe


Pinóquio
O Menino Cara de Pau



Aos
57 anos de idade, Maikol Jepetoson era um homem profundamente

 infeliz.

Apesar
de ter um parque de diversões e um cinema particular, de possuir

 uma
coleção
de brinquedos maior que todo o estoque da DB Brinquedos,

 Jepetoson
sentia-se
muito solitário em sua modesta mansão de 124 cômodos

 e já não conseguia
controlar os seus milhões de dólares espalhados pelos

 quatro cantos do mundo.

Sua
infância foi marcada por uma relação dolorida com o seu pai. Era ainda

 adolescente
quando fundou um conjuto musical e, junto com seus irmãos,

 compôs
uma música chata e comprida que acabou fazendo um sucesso enorme.

Aos
20 anos, o grupo se desmanchou e ele resolveu cantar sozinho. Em pouco

 tempo
tornava-se um mega-star!

Jepetoson
levou um susto tão grande com o seu rápido sucesso que ficou branco!

Apaixonado
pelas crianças, freqüentemente ele as convidava para passar o final

 de
semana
na sua mansão. Até que um dia, foi acusado de pedofilia.

A
mãe de um garoto de 10 anos queixou-se à polícia que o sr. Jepetoson tinha

 convidado o seu filho para passar um final de semana em sua mansão e, na 


ocasião, aproveitou-se do garoto, obrigando-o a ficar o dia todo brincando na

 sua Roda Gigante.

O
escândalo alastrou-se pelo mundo todo mas, três milhões de dólares mais 


tarde, o juiz percebeu que tinha cometido um equívoco, desculpou-se perant

e o
público e obrigou a mãe do menino a interná-lo em uma clínica para doentes

 mentais.

Para
contrariar a imprensa, que questionava suas preferências sexuais, 

Jepetoson
resolveu casar-se para provar que viado era a mãe e já que não

 podia brincar
com as crianças dos outros, ele iria ter as suas próprias. Para

 esposa,
escolheu a filha do Princesa do Rock. Mas, ela não agüentou muito

 tempo e
pediu o divórcio alegando que o marido - que, sabidamente tinha

 afinidade por
sapos, escorpiões, iguanas, e, principalmente cobras - odiava

 aranhas.

Entristecido
com esse episódio e lamentando não poder mais trazer as crianças

 para brincar
com ele, Jepetoson passou a viver infeliz e isolado do mundo.

Certa
manhã, ao acordar, teve uma idéia brilhante.

Mandou
chamar o melhor marceneiro do mundo e pediu para que ele fabricasse

 um menino de
madeira.

- Que
lindo! - exclamou Jepetoson ao ver a réplica perfeita que o marceneiro lhe

 entregava uma semana mais tarde. - Me apaixonei!

Correu
para o quarto com o menino debaixo do braço, trancou a porta e baixou-

-lhe as
calças.

-
Oh!
- exclamou ele, espantado ao ver o pingolim do menino. - Que filho da puta

! Eu
falei prá aquele desgraçado não economizar madeira. - Luciiiiiidio! - berrou

 ele,sem conter a raiva.

Logo,
um crioulo enorme apareceu na porta.

-
Pois não, sr. Maikol!

-
Cadê o filho da puta?

-
Qual deles?

-
Aquele que fez esse boneco ho-rro-ro-so!

- Ele
já foi embora! Mas, eu pensei ter ouvido o senhor dizer que achava o boneco

 lindo!

-
Lindo? Essa coisa?? Dá uma olhada no tamanho do pirulito dele! Aposto que foi

 feito com madeira japonesa!! Que horror!!!

E
começou a chorar descontroladamente.

- Sr.
Maikol, eu sinto muito...

- Vai
embora! - disse o cantor em prantos. - Eu quero ficar só!

Jepetoson
atirou-se na cama e ficou ali prostrado durante horas, soluçando, 

lamentando
a
incomensurável catástrofe que se abatera sobre ele.

Quando
acordou, algumas horas depois, Pinóquio estava sentado sobre a cama, 


acariando-lhe os cabelos.

- Meu
Deus - murmurou assustado. - O boneco está se mexendo! Acho que fiquei

 completamente louco!

-
Não se preocupe, Maikol - replicou o boneco. - Você não está louco não.

 Enquanto 
você dormia, eu recebi a visita de uma fada muito bondosa que

 me
transformou num menino de verdade!

-
Menino de verdade, não! - corrigiu uma vozinha fina de uma criatura sobre o 


ombro de Pinóquio. - Você ainda é um boneco de madeira, só que pode falar,

 andar e fazer
outras coisinhas!

-
Quem é essa coisa? - perguntou Gepetoson, curioso.                            
continua....







<< Anterior Next >>
 
Vote nesta Anedota! - Valor de votação 1
 Estúpida   Excelente      
   
 
Enviar esta Anedota a um amigo
      Seu Nome:   Nome do Amigo:
      Seu Email:   Email do amigo:
 


Algarve    Aveiro    Beja    Bragança    Braga    Castelo Branco    Coimbra    Évora    Guarda    Leiria    Lisboa    Portalegre    Porto    Santarém    Setúbal    Viana do Castelo    Vila Real    Viseu    Açores    Madeira   





Pesquisa Avançada

Para adicionar a anedota
do dia ao seu site
clique aqui..















Desenvolvido por: canalweb 1998-2010